O que é um sinistro?

Toda ocorrência de todo evento com cobertura no seguro e especificado na apólice é chamado de sinistro. Resumidamente, quando, após contratar a cobertura para colisões, você bate o carro involuntariamente, um sinistro ocorre. Ou até em caso de furto especificado na apólice.

Contudo, caso você não tenha contratado a cobertura para roubo ou furto, o episódio em questão não pode – e não será – considerado um sinistro, visto que a cobertura do prejuízo não está prevista no seguro.

Há duas formas de ser indenizado pela seguradora com a ocorrência de um sinistro, são elas: a indenização parcial e a indenização integral. Para a classificação de um sinistro como sendo perda integral ou parcial, utiliza-se o seguinte critério: caso o valor do reparo seja inferior a 75% do valor do veículo, temos a perda parcial; mas caso o valor dos reparos seja maior ou igual a 75% do valor do veículo, temos a perda total. Caso um veículo segurado seja roubado ou furtado e não seja possível localizá-lo, o dono será indenizado integralmente. Em contrapartida, caso seu veículo tenha sido furtado e o carro seja encontrado danificado antes da indenização, a mesma análise será feita: se o valor do conserto supera ou não 75% do valor do veículo. 

Em relação às perdas parciais, as seguradoras visam a agilidade do processo como forma de ajudar o segurado. Por esse motivo, firmam parcerias com fornecedores credenciados e oficinas para atendimento aos sinistros e perda parcial. Negociações preexistentes resultam em descontos benéficos para as partes envolvidas, tanto a seguradora quanto o segurado. Assim sendo, as franquias podem obter generosos descontos. É válido entrar em contato com a sua seguradora e descobrir se ela desfruta de parcerias com oficinas, caso um conserto no seu carro seja necessário. 

Quando acontece um sinistro com perda parcial?

Como já supracitado, caso haja a ocorrência de um sinistro, dois acontecimentos podem ocorrer: com perdas parciais e perdas totais. A indenização parcial resulta em um carro cujo sinistro sofrido seja suscetível de reparo, ou seja: o veículo ainda pode ser reparado em uma oficina.

É importante ressaltar que, para a seguradora, a perda parcial é quando os danos do sinistro não atingem 75% do valor do carro, porque caso atinja, configura-se uma perda total. Para averiguar a situação, realiza-se uma vistoria. 

Dessa forma, quando ocorre uma perda parcial com o seu veículo, uma avaliação é feita para apurar os custos dos consertos e onde o reparo será realizado. O segurado se responsabilizará pelo pagamento da franquia, e a seguradora pelo conserto do carro. A franquia nada mais é do que a participação do segurado nos prejuízos, e as especificações são encontradas na sua apólice.

Quando acontece um sinistro com perda total?

Caso o veículo tenha sofrido danos significativos e o custo do reparo seja maior do que 75% do valor do veículo, ocorrerá uma perda total e a seguradora deverá arcar com as despesas integrais do carro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *